Blog

19/01/2017

Maratona de New York por Guilherme Torres

BH Race pelo mundo, Maratona, Roteiros e viagens

A maratona de Nova York é o evento de corrida que reúne o maior número de corredores no mundo. São 50 mil ao todo. É impossível fazer comparações com qualquer corrida aqui no Brasil.

Tudo é gigante, grandioso, com milhares de pessoas envolvidas, voluntários, organizadores, corredores, público, etc… É como se juntássemos todos os corredores do circuito das estações, de todas as 4 etapas do ano, do Rio, BH e São Paulo, em uma única prova.

Dá para imaginar isso?

Portanto, vou evitar fazer comparações em relação à prova de NY porque acho que não faz sentido. Apenas tenha em mente que é um evento de corrida gigantesco, monstruoso e super bem organizado.

 

Processo de inscrição:

 

Existem 4 maneiras de você participar da Maratona de Nova York:

Agências de Viagem:

Existem algumas agências de viagem que são autorizadas pela prova a vender pacotes que incluem uma inscrição garantida. Portanto, o pacote oferece passagem, hospedagem e uma inscrição para a prova. É uma forma super fácil de participar.

Sorteio:

Qualquer pessoa pode participar do sorteio para uma vaga na maratona. O custo de participar do sorteio é bem baixo, 7 dólares e, caso você seja sorteado, a organização debita no seu cartão de crédito o preço da inscrição, 300 dólares, aproximadamente. A chance de ser sorteado é de 1 para 3. No meu caso, participei do sorteio e, segundo a organização, cerca de 90 mil corredores participaram do sorteio para 30 mil vagas. As outras 20 mil vagas são distribuídas entre as agências de turismo, atletas com índice e corredores que entram via doação.

Índice:

se você tiver um índice para entrar na prova, você tem inscrição garantida. Isso é uma forma de manter o alto nível da maratona de Nova York. Pelo site, é possível consultar o índice para cada idade e sexo.

Doação:

caso você queria participar da maratona ajudando alguma instituição de caridade, é possível pagar pela inscrição e ainda fazer uma doação para alguma instituição. Não sei quanto é essa doação, mas não deve ser barato. Caso você opte por essa modalidade de inscrição, você também tem entrada garantida na prova.

Semana da prova.

 

Ao chegar em Nova York, poucos dias antes da prova, é possível sentir o clima da cidade. São muitos cartazes nas ruas fazendo propaganda pela maratona.

As estações de metrô e os ônibus também fazem muita divulgação sobre a prova. A cidade toda dá uma importância muito grande para a prova e isso é muito fácil de ser percebido.

É muito difícil estar em Nova York durante esse final de semana e não perceber que alguma coisa diferente está rolando.

Vários eventos compõem a semana da prova na Maratona de Nova York. São eles: Expo de retirada do Kit, cerimônia de abertura, Dash to finish line 5k e jantar de massas.

Apesar de estarmos falando de mais de 50 mil corredores retirando o número de peito e camiseta, essa retirada foi até muito organizada. Um ponto importante: não existe kit da maratona.

Para essa prova, você recebe um número de peito e uma camiseta. E pronto! Um pouco diferente das provas que estamos acostumados aqui no Brasil.

Em 20 minutos retirei o número de peito da maratona, número de peito da corrida de 5k que rolou no sábado de manhã, a camiseta da maratona, a camiseta da 5k e os ingressos para o jantar de massas.

Após retirar tudo o que você precisar em um dos vários guichês disponíveis, você naturalmente fará uma visita nas lojas da feira.

Tudo o que você imaginar estava sendo vendido nessa loja: itens oficiais da maratona, todos os tipos de acessórios de corrida, viseiras, bonés, tênis, camisetas, jaquetas, coletes, meias, etc. TUDO!

 

Uma coisa gigantesca, lotada de gente, música alta tocando, todo mundo comprando e animado para a prova.

 

Todas as lojas com descontos muito bons.

Por exemplo, na loja da Garmin, os relógios estavam todos com 30 a 40 dólares de desconto em relação ao preço do site. O Garmin 235, que aqui no Brasil custa mais de 2 mil reais, lá estava saindo por 289 dólares.

Na linha de chegada, entram delegações de todos os países que estão representados na maratona, de acordo com o número de inscritos daquele país.

 

Ao final, acontece uma queima de fogos grande para fechar com chave de ouro a cerimônia de abertura.

 

É um evento legal de participar (fazer parte da delegação) mas não é tão legal de assistir (é demorado, começa a tarde e só acaba a noite).

Se você não tiver nada melhor para fazer, vale a pena.

Mas não é nada imperdível.

 

Dash to finish line – 5k

 

Essa corrida acontece no sábado pela manhã. Uma corrida excelente para diminuir um pouco a ansiedade e até para participar com a família toda.

Para quem vai correr a maratona, não faz diferença nenhuma correr 5km um dia antes da prova, desde que você não queira ser o campeão da corrida, certo?

A prova toda acontece em Manhattan. A largada é em frente ao prédio da ONU e a chegada é no Central Park, no mesmo local da chegada da maratona.

Qualquer um pode participar, basta se inscrever (50 dólares) e correr! A retirada do número de peito e da camisa acontecem no mesmo local da retirada do número de peito da maratona.

Não existe medalha para essa prova.

 

Jantar de massas

 

Acontece no sábado à tarde/noite, no pavilhão da Maratona que é construído dentro do Central Park, perto da linha de chegada. É um momento de descontração bem legal.

Dentro do pavilhão são colocadas várias mesas bem grandes, tipo mesas compartilhadas e vários maratonistas jantam juntos, ouvindo a música que um DJ está tocando para a galera, jantando as massas preparadas pela organização.

Dá até para comprar algumas coisas da maratona porque nesse mesmo pavilhão existe uma lojinha da prova, com camisetas, casacos, shorts, canecas, etc.

O custo foi de 35 dólares e os ingressos são retirados também na Expo de retirada do número de peito da maratona. Só um detalhe: você tem que ficar atento ao horário de entrada que está escrito no seu ticket.

Você não pode chegar lá em qualquer horário. Existe um horário pré-determinado para você poder entrar. Imagina se todo mundo resolve chegar na mesma hora?!

O meu horário foi 16:30. Na verdade, eu nem tinha reparado nisso quando peguei os ingressos. Só depois que fui ver esse horário.

Talvez seja possível escolher o horário no momento de retirada dos ingressos. Talvez! Eu não tentei fazer isso mas acho que não custa perguntar.

 

Vamos à prova…

Para chegar até a largada, que fica em Staten Island, você tem basicamente três opções. A primeira é usar o ônibus disponibilizado pela maratona, que sai de Manhattan, da biblioteca nacional.

Um esquema bem parecido com o que acontece na Maratona do Rio. Ao optar por essa modalidade, você deve escolher o horário que melhor te atende.

No meu caso, o horário era 06:00. Ao chegar na biblioteca, havia uma fila enorme de ônibus e uma fila maior ainda de pessoas.

Apesar dessas filhas gigantescas, consegui entrar no ônibus bem rápido. Acho que não fiquei nem 20 minutos na fila.

A medida que os ônibus iam chegando, os atletas entravam e, quando o ônibus lotava, ele partia para a largada. Muito rápido.

Estava um frio violento!!! A partir desse momento já comecei a imaginar o frio que eu ia passar esperando o meu horário de largada.

Dica valiosa: caso opte pelo ônibus, escolha o horário mais tarde que tiver.

Não existe a possibilidade de você chegar atrasado para a largada, fique tranquilo. Os ônibus chegam muito tempo antes da largada, quase duas horas antes da primeira largada.

O tempo entre a biblioteca e a linha de largada é de 40 minutos, aproximadamente.

Quanto mais tarde for o seu ônibus, mais tempo você poderá dormir e menos tempo ficará esperando no frio.

A segunda opção é usar o Ferry Boat. Nessa opção, você deve chegar até o terminal do ferry, que fica na ponta sul da ilha de Manhattan.

De lá, o ferry atravessa para Staten Island e você vai pegar um ônibus para a linha de largada.

Demorou quase 2 horas e meia para fazer esse percurso todo. Teve fila para entrar no ferry, depois fila para sair, fila para entrar no ônibus e fila para entrar na linha de largada.

Foi um perrengue.

Falavam que chegaria faltando 15 minutos para a sua largada. Pode ter sido azar . Mas se você pensar bem, quanto menos fila você pegar, melhor.

Quanto menos baldeação você fizer, melhor. Por isso, acredito que essa opção pode ser um pouco trabalhosa.

A terceira opção é simplesmente pegar um taxi ou Uber até a linha de largada. Por que eu não pensei nisso antes?!

Usando o ônibus, eu cheguei na vila de largada pouco antes das 7 da manhã. Tive que esperar até as 10:15, horário da minha largada.

Estava fazendo muito frio, não tinha sol para esquentar, não tinha lugar para esconder do frio.

Foi assim que eu esperei sentado no chão quase 4 horas.

 

Chegando lá…

Independente da forma que você escolher para chegar até a largada, você vai chegar até o comecinho de Staten Island, onde tem um pedágio enorme.

É ali que todos os ônibus param para os atletas descerem. A partir dali, caminhamos até a entrada, 3 minutinhos de caminhada, e tem uma pequena fila para passarmos por um detector de metais, tipo de aeroporto.

É coisa rápida!

Depois disso, entramos em um local parecido com um enorme estacionamento, com uma bela vista para a primeira ponte que vamos enfrentar.

Ali, os atletas se dividem em três vilas de largada: azul, laranja e verde. Fui até a vila verde e me deparei com algo parecido como um enorme estacionamento de shopping.

Havia vários banheiros, um telão enorme mostrando os horários de largada, várias caixas de som dando avisos em várias línguas diferentes, carros da UPS que são usados como guarda volumes e algumas barquinhas oferecendo café, Donuts, barras de proteínas, bananas, agua quente, chá e Gatorade.

Ponto importante: Faz muito frio nesse lugar e você não tem onde se esconder. Portanto, prepare-se para o frio!

 

Doação de roupas:

Espalhadas nas vilas de largada e em vários pontos ao longo da prova, existem umas caixas enormes onde os atletas podem doar roupas de frio. Por que isso?

Primeiro pela ação social e segundo para que você possa ir bem agasalhado e, na hora da prova, você não precisa carregar aquilo tudo com você.

Basta doar as roupas. Vi muita gente com calça de moletom, cobertores, mantas térmicas, etc.

Se eu soubesse disso teria arrumado um cobertor também. Passar frio antes da prova foi muito ruim. E você acaba gastando preciosas calorias para se manter aquecido.

Não poupe roupas de frio para a espera na linha de largada. E caso você não queria doar, você pode optar pelo guarda volumes.

Dessa forma, você recebe suas roupas de volta na linha de chegada.

 

Preparação para a largada:

Cerca de 45 minutos antes, o telão já anuncia o próximo grupo a largar e os alto falantes também reforçam a mensagem.

É hora de doar todas as roupas de frio, passar no banheiro, tomar um gole de água e se direcionar para o seu curral. Cada onda de largada é dividida em vários currais (acho que são 5 ou 6).

Detalhe curioso: sabe aquela foto famosa da maratona de Nova York, com a ponte de Staten Island lotada de corredores, um lindo mar de gente?

Na verdade, tem gente correndo na parte de baixo da ponte também, que foi o meu caso. A depender do seu curral, você será direcionado para a parte de cima ou para a parte de baixo da ponte. Foi um pouco decepcionante.

O dia estava maravilhoso e eu estava com aquela imagem dos corredores sobre a ponte na minha cabeça. Acabei sendo direcionado para a parte de baixo da ponte.

Bola pra frente!

No momento da largada, tem um locutor que dá algumas últimas informações, agita a galera, alguém canta o hino dos EUA e um canhão dá o som final para a largada.

Esse momento é sensacional! E depois do canhão, começa a tocar New York New York, do Frank Sinatra! Para os mais emotivos, isso já é motivo de lágrimas.

E o locutor vai gritando: “As ruas de Nova York são suas! Boa prova corredores! ” É muito emocionante!

 

Durante a prova:

A ideia dessa prova é fazer uma maratona que percorra os cinco distritos da cidade. Staten Island, Brooklin, Queens, Bronx e Manhattan.

Staten Island é somente a largada. Nós já largamos na ponte que sai de Staten Island para o Brooklin. Portanto, você não vai conhecer Staten Island à fundo.

Ao contrário do Brooklin, onde você vai passar boa parte da prova. Na chegada de cada distrito, você vê placas do tipo Bem-Vindo ao Brooklin!

Logo no km 2 ou 3 nós já estamos no Brooklin, quem correu por cima da ponte se encontra com quem correu por baixo da ponte e a partir desse momento é um mar de gente na rua que só vai acabar depois da linha de chegada.

É a coisa mais impressionante da prova. Não existe um km da prova sem que haja milhares de torcedores nas ruas. Isso faz toda a diferença.

Eles gritam, escrevem cartazes, as criancinhas dão a mão para você bater de volta, oferecem frutas, chocolates, etc. É um show à parte.

Por falar em show, ao longo do percurso são mais de 100 bandas tocando todos os tipos de música que você imaginar. Esse é um outro ponto que ajuda a animar durante a prova. É muita gente na rua e muita música rolando o tempo todo.

Hidratação:

Em relação à água e Gatorade, são vários postos de hidratação ao longo da prova. A cada 3km havia um posto de hidratação, com Gatorade, água e (interessante) palitinhos, daqueles de picolé, com um pouco de vaselina. Nunca tinha visto isso antes.

Não usei, mas achei legal. É possível perceber também muitos policias fazendo a proteção dos corredores e, na maior parte do percurso, a rua está completamente fechada com aquelas grades de ferro de organizar filas.

É um esquema muito bem montado, muito organizado.

Ao longo da prova havia também vários pontos com banheiros e postos médicos. Apenas um ponto com barrinha de proteína e um outro ponto com esponjas molhadas, para refrescar.

Não existe nenhum momento de monotonia na prova. Nenhum momento sem ouvir gente gritante, tocando sininhos, fazendo barulho, te dando força.

Colocar o seu nome na camiseta que você vai correr faz muita diferença. Sabe por que? As pessoas na rua vão gritar o seu nome e isso dá uma força extra na hora de correr.

E como estamos falando de gente na rua o tempo todo, isso significa que seu nome será falado o tempo todo! Isso é muito legal na Maratona de Nova York.

Vi pessoas usando até mesmo esparadrapo para escrever o nome na camiseta.

Altimetria:

A prova é praticamente plana. Apenas as pontes serão um pouco diferentes disso, principalmente a primeira ponte, que é bem extensa e tem um ganho de elevação considerável. Mas, na maior parte, o percurso é plano. Não se preocupe com isso.

Temperatura:

A temperatura estava excelente para correr (não para ficar parado esperando a largada, rss). Corri sem nenhum acessório de frio, nem luva ou gorro, nada. Fiquei com um pouco de frio nas mãos nos primeiros quilômetros, mas foi algo bem tranquilo. Foi como correr com o ar condicionado ligado.

Depois de cruzar o Brooklin, passamos pelo Queens, entramos em Manhattan, subimos toda a ilha até cruzar para o Bronx. Depois de correr pelo Bronx, voltamos para Manhattan, descendo até a metade do Central Park. Entramos no Central Park e vamos para a linha de chegada.

 

Linha de chegada:

 

Como sempre, é uma emoção muito grande cruzar a linha de chegada. No caso da maratona de Nova York, quando você está nos últimos quilômetros, o percurso passa por dentro do Central Park.

Ali o coração já bate mais forte, porque você sabe que a chegada está muito próxima.

Nos últimos 500 metros, você já consegue ouvir a galera das arquibancadas, o locutor no microfone, a música. É uma emoção muito grande!

Após cruzar a linha de chegada, você recebe a sua medalha, uma manta térmica e um kit alimentação com Gatorade, fruta, barra de proteína, etc.

Depois disso, é preciso fazer uma boa caminhada (que preguiça…). Durante esse percurso, todo dentro do Central Park e fechado somente para os corredores, passamos pelos postos médicos e depois a galera se divide entre aqueles que optaram pelo guarda volumes e aqueles que optaram pelo poncho.

Essa opção é feita no momento da inscrição. Quem opta pelo guarda volumes, é direcionado aos carros da UPS, que estarão com todas as suas coisas que você levou para a vila de largada.

Quem opta pelo poncho, que é tipo uma capa, muito bonita, parece um cobertor, é encaminhado para fora do Central Park, onde poderá pegar o poncho.

Depois de retirar o poncho, você tem acesso ao local de encontro das famílias e, a partir desse ponto, você está liberado da zona da maratona.

 

Como fazer para encontrar a sua família/amigos depois que cruzar a linha de chegada?

Diferente das provas aqui no Brasil, ninguém tem acesso ao espaço que fica após a linha de chegada, somente os corredores e organização da prova.

Do lado de fora do Central Park, em ruas determinadas pela organização, existe o “espaço das famílias”. As ruas são divididas por letras e a organização sugere que o seu familiar espere você ali, de acordo com a letra do seu nome ou sobrenome. Esse esquema foi excelente.

Encontrei facilmente a minha esposa, que estava me esperando.

Grandstand Seating

Se você quiser um lugar especial para a sua família na linha de chegada, você pode comprar um lugar na arquibancada que fica nos últimos 200 metros da prova.

Ali, somente público pagante entra. O ingresso custa 75 dólares.

 

Aplicativo da prova

Para quem não está correndo e quer acompanhar algum corredor, uma maneira muito fácil é usar o aplicativo de prova. Esse aplicativo mostra a posição do corredor milha a milha.

É possível saber em que milha o corredor já passou e dá para acompanhar até 20 corredores ao mesmo tempo. Minha esposa usou o app e, dessa forma, sabia quase exatamente onde eu estava na prova.

É uma ferramenta sensacional!

Além disso, por esse app, você consegue acessar inúmeras informações sobre a prova, endereços do pavilhão, da Expo, da biblioteca para pegar o ônibus, mapas de largada, de chegada, do local de encontro das famílias, etc.

Na noite pós maratona, acontece uma coisa muito interessante: vários corredores saem às ruas para jantar com as suas medalhas no peito.

E as outras pessoas param para cumprimentar e parabenizar sobre a prova. Nunca havia visto nada parecido e é algo que mostra a importância que os americanos dão para o esporte.

Algumas pessoas me pararam para cumprimentar pela prova e perguntar como eu estava me sentindo. Foi bem emocionante.

Na segunda feira pós maratona, o jornal The New York Times lança um caderno especial sobre a prova, com várias páginas sobre a maratona contando detalhes e curiosidades.

Nesse caderno especial, são impressos os nomes e tempos dos primeiros 35 mil colocados na prova.

Mais um sinal do respeito que existe sobre essa prova nos EUA e é um souvenir bem legal de guardar, afinal de contas, não é todo dia que seu nome é impresso em um dos principais jornais do mundo.

 

E as fotos da prova?

 

Logo depois de algumas horas depois da prova, você já começa a receber e-mails da empresa oficial de fotos da maratona, tentando te vender as suas fotos.

E ao longo da semana você receberá vários e-mails com as suas fotos e um botão de “clique aqui para comprar”. Eu não comprei pois achei o preço muito caro: 90 dólares somente pelo download de 13 fotos.

Mas é mais uma recordação sobre a prova. E as fotos ficam disponíveis por algum tempo.

Se você resolver comprar depois, elas ainda estarão lá te esperando.

 

 

Guilherme Torres é Maratonista e corredor BHRace

 

Compartilhe:

2
Deixe um comentário

avatar
2 Tópicos de comentários
0 Respostas
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Autores dos comentários
CarlosCesar Autores de comentários recentes
  Receber comentários por email  
mais novos mais antigos mais votados
Avise-me de
Cesar
Visitante
Cesar

Informações e relato espetaculares Guilherme! Parabéns!!!

Carlos
Visitante

Obrigado pelo relato. O palito com creme não é vaselina e sim BioFreeze para dor.

Vamos Treinar?

Conheça o treinamento online BHRace. Corra onde e quando quiser, com orientação profissional.

Deixe seu email e receba nossa news