Blog

22/11/2017

Overtraining: o que você precisa saber?

Coluna do treinador, Lesão

Atualmente, o número de praticantes de atividade física tem crescido e isso é muito bom para a saúde global. Porém, cresce com isso uma busca por corpos perfeitos e alto desempenho, o que levam a pessoas a se exercitarem cada vez mais. Porém, o excesso de exercício físico traz os seus malefícios.

Toda carga de treinamento traz adaptações e elas podem ser positivas ou negativas. Claro que queremos sempre que sejam positivas e é isso que vamos entender um pouco mais neste texto.

 

O que é o overtaining?

Overtraining é uma síndrome que leva um desequilíbrio entre o estresse proveniente de exercícios e a necessidade de assimilação deste estresse pelo organismo. Essa síndrome pode se dar por diversos fatores ligados ao estresse, como condições emocionais, comportamentais e físicas.

Essa síndrome leva a uma queda de desempenho  a longo  prazo,  com  ou  sem  sinais  e  sintomas  psicológicos  e fisiológicos. onde a restauração das capacidades normais do organismo pode levar de semanas a até meses.

 

 

O fenômeno da supercompensação!

Para melhorarmos nosso condicionamento físico, precisamos nos submeter a sessões de treinamento que devem ser seguidas de períodos suficientes de descanso para recuperação. É neste período de recuperação em que ganhamos adaptações de condicionamento. Isto é chamado de supercompensação.

O meu organismo tem um nível atual de condicionamento físico. Eu treino e fadigo e, consequentemente, esse nível de desempenho cai momentaneamente pois ainda estou cansado. Em sequência, começo a me recuperar. Quando me recupero de maneira adequada, consigo melhorar o meu condicionamento físico em relação ao meu estado inicial. Este é o fenômeno da supercompensação!

Neste exemplo, o atleta sempre começa o próximo treino completamente recuperado e supercompensado em relação ao treino anterior. Assim, essas adaptações foram positivas.

 

 

O Overtraining.

Quando o tempo de recuperação não é adequado para se recuperar é sinal de que seu corpo pode estar entrando em processo de overtraining.

Se você começa uma nova sessão de treino de maneira sem ter voltado ao seu estado de condicionamento físico inicial e isso se repete rotineiramente, a tendência é que seu desempenho sempre diminua e dessa maneira, nunca iremos supercompensar..

Neste exemplo, o atleta sempre começa o próximo treino sem estar completamente recuperado em relação ao treino anterior. Assim, essas adaptações foram negativas.

 

 

Quais são os sintomas?

Os sintomas mais comuns de que você pode estar entrando em um quadro de overtraining são:

– Redução da performance.

– Fadiga muscular prolongada.

– Insônia.

– Irritabilidade.

– Aumento de lesões.

– Estresse psicológico.

– Baixa imunidade.

 

 

Como monitorar este processo?

O monitoramento do quadro de overtraining pode se dar por fatores mecânicos, fisiológicos ou psicológicos:

MECÂNICOS – Avaliam o desempenho esportivo através de parâmetro mecânicos como o tempo percorrido em um prova ou a velocidade média durante um treinos. Pode ser feita a comparação destas marcas em diferentes períodos de treinamento e observado o comportamento dos resultados.

FISIOLÓGICOS – Feito através de marcadores fisiológicos como a creatina-quinase que é uma enzima que indica a presença de danos musculares ou através do comportamento da frequência cardíaca durante uma sessão de treino e durante o período de recuperação.

PSICOLÓGICOS – Geralmente são utilizadas escalas e questionários psciométricos que visam avaliar a percepção de estresse, humor e nível de recuperação dos atletas.

 

 

Tem tratamento?

Caso você apresente os sintomas listados acima e seja diagnosticado com overtraining, a primeira conduta a se tomar é reduzir a carga de treinamento físico.

Diminuir a rotina de exercícios, aumentar suas horas de sono e mudar o seu padrão de alimentação são alguns passos para seu corpo começar a recuperar de maneira adequada. Em alguns casos, é necessário a interrupção completa de atividades físicas por algumas semanas ou meses.

 

 

Como evitar?

Um acompanhamento multidisciplinar envolvendo um profissional de educação física, médico do esporte, fisioterapeuta, nutricionista e psicólogo seria o ideal, mas, infelizmente, esta não é a realidade de grande parte dos atletas amadores.

Basicamente, precisamos equilibrar três ações fundamentais: treinar, alimentar e descansar.

Treinando de maneira adequada e respeitando o prescrito pelo seu treinador, se alimentando de forma saudável e de acordo com a quantidade de energia que você gasta em seu dia a dia e descansando o suficiente para seu corpo recuperar do estresse é certeza de que você terá uma evolução em suas capacidades físicas sem colocar seu organismo em risco de entrar em um processo de overtraining.

 

 

E você? Já chegou a esta situação de excesso de treinamento? Conhece alguém que teve a síndrome de overtraining? Conte para nós nos comentários abaixo!

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe:

Receber comentários por email
Avise-me de
guest
1 Comentário
mais antigos
mais novos mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
Carolina Nagai
Carolina Nagai
3 anos atrás

Post de overtraining muito bom! Gostei dos gráficos explicando as adaptações. Já tá senti sintomas de overtraining (ou over reach?), exceto insônia.

Vamos Treinar?

Conheça o treinamento online BHRace. Corra onde e quando quiser, com orientação profissional.