Blog

28/01/2011

DICAS PARA A MEIA DA DISNEY – LUCIANA SALDANHA

Coluna do treinador, Relatos, Roteiros e viagens

Pois é, tem muita coisa que a gente só fica sabendo lá e bem que já poderia ter em mente antes de sair daqui. Ou ter na bagagem. Então vou escrever um texto completo, aguenta aí.

PRIMEIRA: eu já havia lido que esta seria excelente escolha para uma primeira meia maratona (21 km) ou para estrear na inteira. Realmente é, pois o clima de festa e pouca competição imprime um ritmo lento e garante sua finalização. Você vai conclui-la. Durante a corrida eu pensava que deveria ter levado minha mãe para correr comigo. Ela, que apesar da idade tem um bom preparo físico, certamente concluiria. Antes da largada, na minha bateria, havia dezenas – ou centenas – de pessoas gordas ou bem mais velhas que eu. Eu só olhava e pensava, “se eles estão aqui, eu consigo tb.” Nos primeiros 4 k o ritmo é bem lento pois a pista fica lotada. Sabe aqueles amigos que correm juntos fechando o caminho? Para não estressar o geito é relaxar e ir curtindo as atrações, esqueça o “quanto tempo vc. fez?”, vai aproveitando o lugar, voce chega, não entedia estar em ritmo lento pois há n shows, performances, personagens, paisagens, etc.

HORÁRIO: apesar da largada ser marcada para as 5:30, os corredores devem chegar nas baias às 5 horas e então no local da corrida à 4:30, o que significa sair do hotel às 3:50, com o despertador tocando às 3:15 no mais tardar. Nós conseguimos nos programar para dormir antes das 10 da noite, então foi tranquilo, tivemos 5 horas de bom sono.

TEMPERATURA: fria, bem fria. Este ano fez 10 graus, diziam que estava ótimo. O problema é que temos que chegar ao local bem mais cedo que o início e é nesta espera que o frio pega. Eu não sabia que era fundamental levar luvas e faixa para proteger as orelhas. E boné ou algo do gênero para esquentar a cabeça. Eu coloquei uma calça de algodão, até que fina, camiseta de manga curta e uma de manga longa por cima. Fui com um moleton de capuz, que logo no km 5 foi dispensado. Depois tirei a manga longa e amarrei na cintura lirei as luvas e a faixa da cabeça. Foi perfeito. O moleton eu joguei para doação.

DOAÇÃO: as pessoas jogam seus casacos, cobertores, luvas, vão tirando e largando nas bordas da pista. Depois os voluntários passam recolhendo, vai tudo para doação. É bem legal, juntam mais de 60 mil peças. Antes de ir vc. já separa o que vai te esquentar e depois pode ser doado. Eu levei o moletom verde de casa para isso.

BATERIAS: quando eu fiz a inscrição coloquei o tempo que realmente achei que os 21 k me tomariam, 2 horas e 20 minutos. Não sei se fiz bem em ser sincera, pois haviam 8 baias e eu fiquei na penúltima… Por isso estava ao lado dos gordos e velhos, pessoas bem mais lentas que eu. Acho que eu poderia ter colocado 1:58 para ir em um grupo mais ágil. Outra coisa, a primeira bateria saiu às 5:30, era só do pessoal profissional, ok. Mas a última largou às 6:30, ou seja, uma hora a mais passando frio sem movimento.

CORRIDA FAMILIA: a meia maratona acontece no sábado e a maratona no domingo. Mas na sexta-feira já há a corrida da família, que é de 5 k. Fomos de pipoca, que são as pessoas que correm sem estarem inscritas. Foi muito bom termos ido, para conhecermos o esquema do ônibus, acordar cedo um dia antes, ver necessidade de roupas, foi um excelente treino, recomendo. E não há controle da organização, só o locutos que disse que lhe haviam informado que eram 55 hundred inscritos mas ele achava que eram 55 thousand cruzando a linha de largada. Só pipoca.

A PISTA: a corrida em si é muito legal, super organizada, banheiros impecáveis em todo o percurso, muitos pontos de distribuição de água, powerade, gel energético, barrinha de cereais, pista sempre larga, é lindo. Além das bandas pelo caminho, há personagens Disney para serem fotografados com os corredores e junto deles um funcionário para utilizar sua máquina. Ou seja, a máquina, com bateria cheia, é equipamento fundamental.

O FINAL: ao cruzar a linha de chegada vários voluntários te colocam a medalha e te embrulham em um laminado, para aquecimento. Há água, powerade, maça, banana, muffins, cereais, mil coisas. É uma festa na arena, DJ, um evento de confraternização. Como esta não é uma prova competitiva, o astral é bem legal, há familias, grupos de amigos, jovens, velhos, todos os tipos de pessoas.

PONTO ALTO: o fun, a não competitividade, o ritmo lento, paradas para fotos, água, o relax.

PONTO BAIXO: o frio. Este ano estava bom, mínima de 10 graus, céu absolutamente azul. Mas imagine se não estivesse, se houvesse chuva? A espera pela largada seria muito cruel. E não da para se prever o clima. É surpresa de fim de ano.

CONCLUSÃO: para mim super valeu, foi a melhor primeira meia que eu poderia fazer, penso em voltar daqui a dois anos para a primeira maratona inteira. Quem não tem medo do frio, TEM QUE IR!

FOTOS: fogos na hora da largada. Depois continuavam queimando mais à cada bateria. Eu na espera, de luvas, tapa orelhas, moleton e morrendo de frio. Parada para foto. Por fim as roupas largadas para doação por toda a pista, principalmente na largada.

EM TEMPO: fiquei impressionada com os banheiros, que são do mesmo tipo utilizado aqui, porém lá o público é outro… Simplesmente limpos, os homens usam o mictório, as mulheres não são como as porcas brasileiras que fazem xixi por toda a privada. Papel higiênico branco, sem uma gota de xixi fora do lugar. Nem tinha cheiro, acho que colocam muito líquido desinfetante, então fica impecável. E vários.

Luciana Saldanha – Corredora BH RACE desde 2009

Compartilhe:

Receber comentários por email
Avise-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
ANNETTE LOURES
ANNETTE LOURES
9 anos atrás

Oi Lu!
Ótimo seu texto descontraído e cheio de dicas úteis !! Parece com vc!! Sempre tentando ajudar de alguma forma!

Já tinha conversado bastante com vc sobre a prova, mas ler seu depoimento foi ainda melhor. Muito bacana esta história dos agasalhos para doação. E os banheiros limpos ??!!! Nossa, como precisamos disso por aqui!

Muito obrigada pelo relato e por sua amizade sincera e cheia de energia positiva !
Com carinho,
Annette.

Leticia Martini
Leticia Martini
9 anos atrás

Ei Lu, muito legal vc colocar pra gente tantos tópicos bem práticos sobre a corrida, como o aquecimento, o que usar e os banheiros!!! Ficou faltando falar da medalha! LINDA LINDA! E a camisa da prova?! Dá vontade de nem usar mais só pra guardar de lembrança. Obrigada por levar a medalha e a camisa pra eu ver na Corrida do sol! Beijão pra vc e muita sorte este ano, principalmente na meia de POA e meia de Floripa!

Luciana Saldanha
9 anos atrás

Quem sabe este ano eu ainda conto sobre a de Porto Alegre, Buenos Aires, São Silvestre e alguma de Miami? Seria um belo 2011. Bj. Luciana S.

Alécio
Alécio
9 anos atrás

Ei Lú!

Quando for correr a maratona da Disney me avisa!

Grande abraço!

julio
julio
9 anos atrás

as mulheres não são como as porcas brasileiras ,esta v pego feio !!!! nao precisava !

Luciana
9 anos atrás

Julio, confesso que quando escrevi isso no meu blog também achei meio pesado. Tirei, mas depois coloquei de novo pois nas corridas, é mais do que fato. Não da para entender porque nas corridas em MG que participo os banheiros femininos são sempre tão imundos. Nunca entrei em um box seco por aqui, é fato. As moças, para se sentirem higiênicas e limpinhas dizem “eu não sento”. Então mesmo quando encontram um banheiro limpo, fazem xixi agachadas e espirram em toda a borda da privada e no chão. Claro que em seguida elas não limpam o que sujaram, também em… Read more »

Vamos Treinar?

Conheça o treinamento online BHRace. Corra onde e quando quiser, com orientação profissional.