Blog

20/08/2010

ÉTICA NA CORRIDA

Coluna do treinador

Há dois domingos atrás acompanhei de bicicleta km a km, todos os atletas da BH RACE que participaram da Meia Maratona Internacional de Belo Horizonte. 

Foi muito interessante estar lado a lado com meus corredores durante a prova, e ver de perto toda determinação e força de vontade de cada um em percorrer os 21 km. É muito bom assistir os atletas que se dedicam no treinamento e buscam sempre fazer o melhor em seu dia-dia. Trata-se de um orgulho que só nós treinadores entendemos, sem dúvida um bônus da profissão!

Por outro lado, fiquei chateado com a cena que vi inúmeras vezes nas mais de duas horas de prova: Corredores cortando caminho pelo gramado e canteiro durante o percurso.

Não sei se devido ao número baixo de fiscais ou a falta de grade em torno da orla da lagoa (o que não justifica), mas essa corrida me chamou muita atenção pelo número impressionante de atletas cometendo esse desrespeito. Não estou falando em fazer a curva fechada seguindo a tangente (inclusive oriento meus atletas para isso), mas pessoas que saem literalmente da rua e sobem no meio fio para diminuir o tamanho das dezenas de curvas existentes na Pampulha.

Quando vejo esse tipo de atitude me corta o coração… Para mim isso simboliza muito mais do que uma infração esportiva (o que já seria grave), mas sim uma não compreensão do valor que o esporte possui, além da desvalorização do ato de percorrer com mérito uma meia maratona!

Posso parecer chato e exigente já que estamos falando de atletas amadores, que teoricamente não estariam disputando nenhuma premiação. Mas é justamente isso que me deixa indignado. Nada é mais valioso no mundo esportivo que a ética e a postura “fair play”.

Em compensação, domingo passado estava assistindo a chegada do Circuito Adidas quando na última curva um corredor antigo aqui de Belo Horizonte, e famoso por correr sempre com seu cão, parou imediatamente sua prova há menos de 100 metros da chegada.

Seu fiel amigo canino havia cortado caminho, passando pelo lado de dentro do cone na última curva do percurso!

Mais do que depressa ele ordenou o cão a voltar e fazer o caminho correto. O pobre cachorro ficou sem entender nada, parado e olhando para o seu dono como que dizendo: “O que foi!? A chegada num é logo ali!?” Após tentar três vezes pelo comando de voz, o nosso corredor não teve outra escolha a não ser pegar o cachorro pela orelha e mostrar o caminho correto ao som de muito choro do pobre cãozinho.

Acho uma verdadeira covardia mal tratar animais, mas confesso que tive vontade de pegar muita gente pela orelha há dois domingos atrás!

Forte abraço e bons treinos

Compartilhe:

Receber comentários por email
Avise-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Annette Loures
Annette Loures
10 anos atrás

Oi Iuri, Compreendo e concordo completamente com sua indignação. Cortar caminho em uma competição é um total desrespeito ao semelhante. O esporte não é apenas uma atividade de manutenção da forma física . O esporte é a expressão da alegria, do desafio e do compromisso com o outro. É o ser pleno que está envolvido na luta e que realiza a ação. O verdadeiro atleta respeita valores como solidariedade e reciprocidade com outros competidores. A ética no esporte é essencial para o exercício da cidadania. É muito importante que os interesses pessoais não se sobreponham aos interesses coletivos . Parabéns… Read more »

Kaabah
Kaabah
10 anos atrás

hahaha… a cena do cachorro aconteceu na semana anterior também! no Circuito Athenas… Sargento (o cão) cortou caminho e depois da corrida vi o dono esbravejando com o pobre coitado que havia cortado caminho! Cena cômica!

Blog BH Race
Blog BH Race
10 anos atrás
Reply to  Kaabah

Hahaha! Sério? Viva a ética na corrida…

Vamos Treinar?

Conheça o treinamento online BHRace. Corra onde e quando quiser, com orientação profissional.