Blog

15/01/2018

O que devo saber antes de comprar um relógio para monitorar meus treinos?

Acessórios, Curiosidades, Post da Nagai

Tênis de corrida certamente é o equipamento “número um” da lista da maioria dos corredores e se tivesse que escolher o segundo colocado, certamente, o meu eleito é um relógio com GPS.

Não listo o item como imprescindível para quem treina para provas de 5km e 10km, mas certamente recomendo para quem deseja aumentar a distância e precisa de um equipamento para evoluir na sua trajetória na corrida.

Neste post, o objetivo não é indicar sites e lojas de compras e nem apontar produtos. A intenção é levantar quais questionamentos devem estar claros em sua mente antes de efetuar a compra.

O início de ano é um bom momento para fazer a aquisição, uma vez que as marcas lançam novos modelos e colocam os modelos atuais com descontos. Além disso, a motivação para o ciclo de treinamento de 2018 aumenta quando se faz um investimento deste tipo.

 

Quando desejo monitorar o meu treino?

 

  • A – Durante o treino, depois nunca mais analiso os dados.
  • B – Durante e após o treino o término do treino.

 

Se sua resposta foi A, sinceramente, não gaste seu dinheiro com os modelos mais modernos que monitoram diversas métricas como tempo de contato com solo, comprimento de passada, oscilação vertical…

Quando você está correndo, consegue acompanhar o pace, tempo e batimento cardíaco; muitas vezes nem é possível observar todos esses dados. Portanto, invista em modelos mais simples que ficam abaixo de R$1000 reais, alguns pode chegar a R$750 com promoções.

Para a segunda resposta, você certamente é curioso e deseja entender a evolução do seu treino. Você talvez gosta de abrir seus treinos depois de um ciclo concluído e comparar seu desempenho no início e no final deste ciclo.

Tenha em mente que você possivelmente vai precisar de um modelo com mais recursos, que lhe permita monitorar os parâmetros como pace instantâneo/por volta/médio, consumo de oxigênio, batimento cardíaco, ganho de elevação, etc.

Existem outras métricas de dinâmica de corrida, como tempo de con

tato com solo e oscilação vertical, que somente estão disponíveis nos modelos mais tops e em alguns casos, exige um dispositivo comprado a parte que você corra com ele preso à roupa ou um sensor preso à cinta peitoral.

Equipamento mensura oscilação vertical durante a corrida através de um sensor fixado na roupa.

 

Para qual distância você treina?

 

  • A – Até 21km
  • B – Acima de 21 km

 

Autonomia da bateria do relógio é imprescindível quando se fala em usar seu relógio com GPS e, principalmente, quando se deixa ligado o bluetooth ou wi-fi (presente nos modelos mais sofisticados).

Bluetooth é sempre usado quando se deseja transferir o registro do treino para o smartphone, sem ter que usar cabo USB para lançar seu treino no computador. Também é usado para sincronizar com seu celular, mostrar mensagens whatsapp recebidas e controlar faixas musi

cais e o volume do seu aplicativo de música em alguns modelos.

Se você assinalou até 21 km, imagino que seus treinos mais longos não superam duas horas e meia e o acumulado da semana fica abaixo de 5 horas. Portanto, a maior parte dos modelos deve atender a sua  demanda tranquilamente mesmo com todos recursos ativados – GPS, Bluetooth, Sensor de batimento cardíaco e Wi-Fi (se houver).

Treinando acima dessas referências (maratonas e ultras), você precisaria investir em modelos com bateria mais duradoura, planejar carregá-lo durante a semana ou até mesmo durante uma prova. Os modelos mais avançados chegam a ter autonomia de até 24h.

 

Qual atividades você pratica?

  • A – Corrida de rua
  • B – Corrida de montanha
  • C – Outros

 

Para os atletas que responderam B ou C, fiquem atentos que não são todos modelos que atendem suas demandas mais específicas.

O atleta de montanha pode optar por mais precisão nos ganhos de elevação do percurso e assim podem adquirir relógio com altímetro barométrico.

Já o praticante de triathlon ou natação, tem relógios distintos em função da necessidade de serem adaptados para as métricas de natação e serem a prova d’ água. Na embalagem, você consegue consultar se o relógio é resistente ou a prova d’ água e classificação de impermeabilidade (indicativo da profundidade que você pode usar o relógio). Existe até relógio para atletas de remo e golfe por exemplo!

O atleta de corrida de rua está bem servido de opções com a única ressalva, que se participar de provas ou treinos em locais muito concorridos, há chances de interferência com outros aparelhos (relógios GPS, antenas, etc.).

Os modelos mais antigos ou mais básicos podem custar mais a achar o sinal do GPS. Uma sugestão é buscar relógios com GPS e GLONASS. Este último é um sistema de navegação, só que baseado em satélites russos e junto ao GPS pode agilizar em até 20% o reconhecimento.

 

Conforto e manuseio.

 

Relógios GPS podem vir com sensor óptico para leitura da frequência cardíaca no pulso ou se não estiver disponível, os batimentos cardíacos são medidos com cinta e sensores presos na região peitoral.

A primeira opção é bem confiável em relação a precisão, porém custa mais. A cinta, por ser fornecida em tamanho único, pode não ajustar bem em pessoas mais magras. Ela pode deslizar durante o treino ou prova, atritando com a pele e causando assaduras. É necessário conservá-la com lavagens da cinta a cada 5 treinos aproximadamente.

Por fim, certifique que a pulseira tem tamanho adequado para seu pulso tanto para não incomodar, como para esta ficar bem firme (condição importante para sensor de batimento no pulso).

Medição da frequência cardíaca através da cinta ou por dispositivos com sensor óptico no pulso: qual seu preferido?

 

Agora está mais seguro para adquirir o melhor relógio de corrida para você? Conte nos comentários quais marcas e modelos você já usou e como foi sua experiência com esses dispositivos.

 

Vamos Treinar?

Conheça o treinamento online BHRace. Corra onde e quando quiser, com orientação profissional.


Deixe seu email e receba nossa news