Blog

23/03/2017

Até que ponto a tecnologia no esporte pode determinar um campeão?

Coluna do treinador

À medida que o esporte evolui, as tecnologias ao seu redor também se desenvolvem. E isso vale para todas as modalidades.

Teoricamente, um atleta campeão deveria ser aquele que possuí um melhor conjunto de capacidades físicas, técnicas, táticas e psicológicas para suportar a demanda de uma competição em meio a inúmeros atletas concorrentes. Mas até que ponto, fatores extrínsecos podem interferir no resultado final?

Os calçados de corrida

Os calçados para corrida são uma forma clássica de melhorar o desempenho, caso contrário, todos correriam descalços. Conforto, baixo peso, absorção de impacto, propulsão… Até que ponto as novas tecnologias, como solados em fibra de carbono podem beneficiar quem utiliza tênis com essas características.

Maratonistas dos Jogos Olímpicos

Um fato curioso é que durante os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, os três medalhistas da maratona masculina utilizaram o mesmo modelo de tênis, cheio de tecnologia. No caso, quem venceu a prova foi o queniano Eliud Kipchoge, com a marca de 2h 08min 44s.

Tecnologia dentro d´água

Na natação, um exemplo clássico, foi a autorização para utilizar trajes que envolviam todo o corpo: os supermaiôs, feitos de poliuretano. Estes trajes favoreciam uma maior aerodinâmica do atleta na água, auxiliando na flutuação e manutenção da velocidade. Como consequência, no período em que foi amplamente utilizado, ocorre a quebra de vários recordes dentro do esporte. Assim, pouco tempo depois, a Federação Internacional de Natação proibiu a utilização dos supermaiôs devido aos seus benefícios no desempenho dos atletas.

Qual é o limite?

Para a corrida, ainda permanece o dilema: qual o limite de assistência permitida? A tendência é que as empresas fabricantes de calçados produzam tênis que armazenem e liberem energia a cada passo, atuando como uma mola propulsora. E aí ficam questionamentos: Será que com estes calçados será possível realizar uma maratona abaixo de duas horas? E sem eles?

 

 


Deixe seu email e receba nossa news